o começo

simba, tudo que o sol toca um dia fará parte do seu reino. menos aquele lugar escuro lá, fica além de nossa fronteira e você deve prometer que nunca irá até lá. ele é chamado Times Square e está sempre lotado de gente tirando selfies, correndo e tentando te vender alguma coisa.

finalmente tudo deu certo por aqui! depois de muita luta com o clima frio e chuvoso de NY; depois de tomar vento até os ossos; depois de quase chorar tentando descobrir como funciona o chuveiro do apartamento e, claro, depois de muito lamentar a conversão R$ 4 para US$ 1 (+ impostos yay), estamos devidamente alocados no espaço de coworking do Columbia Startup Lab. é um prédio incrível, com grandes espaços abertos onde todo mundo trabalha nas mesmas bancadas, com aquela cara super descolada de startup.

CSL-1-1

o Columbia Startup Lab faz parte de uma rede global de espaços de coworking chamada WeWork que, além dos espaços bem legais e equipados, fomenta uma comunidade de empreendedores e negócios. quando você entra no programa, automaticamente recebe um passe-livre para a rede, na qual você pode seguir pessoas interessantes, trocar mensagens, marcar um café ou ficar stalkeando sem ser notado - não que eu tenha feito isso...

logo de cara, fizemos um tour pelo espaço e tivemos uma conversa super legal com a equipe que gerencia as coisas por aqui. fomos muito bem recebidos e eles ouviram atentamente nossas histórias, o porquê de amarmos trabalhar com educação, nossas perspectivas, necessidades e, claro, como eles podem nos ajudar. foi praticamente uma sessão de terapia seguida por uma noite dos tacos. como eu gosto pouco de comida mexicana, por mim, pode pedir a conta que o dia hoje JÁ RENDEU!

*god bless mexican food*

uma das coisas mais interessantes que eu percebi por aqui, logo de cara, é a semelhança com o ecossistema empreendedor que eu vi na Finlândia, lá nos idos 2012 quando disseram que o mundo ia acabar e, no entanto, só entrou em vigor o novo acordo ortográfico... o que pode ter sido a mesma coisa pra muita gente RSRSRS. é claro que há diferenças, pois eu ainda estou para conhecer outro país que faz reuniões de negócio numa sauna... mas a atmosfera de colaboração e a proximidade com uma universidade certamente ajudam a aproximar os dois.

*na finlândia, tudo acaba em sauna*

de todas as formas, até agora, tudo tem sido muito legal - até o dia em que eu quase acidentalmente troquei o nome de uma moça por BATHSHEBA, que, na real, é o nome de uma bruxa das trevas sacerdotiza do demônio na terra de um filme de terror que eu vi faz um tempo. ainda ainda a i n d a A I N D A bem que eu segurei minha língua a tempo né porque imagina a torta de climão: você acaba de conhecer a menina e nos primeiros segundos se refere a ela como sacerdotiza do demo. oops.

monstro
olá o senhor tem um minuto para ouir a palavra do lorde das trevas?

ainda estamos aquecendo por aqui, hoje foi só o primeiro dia! ainda vamos almoçar (ou we're gonna lunch na língua dos nativos) com empreendedores daqui que têm propostas similares ao Sílabe, vamos participar de alguns workshops sobre Design Thinking, vamos viajar para a Califórnia em breve, passar por umas escolas, participar de um evento em Stanford e por aí vai. ÊTA MUNDÃO VÉIO SEM PORTEIRA!

por enquanto é isso, pessoal. em breve tem mais, nesse mesmo canal e a essa mesma hora (mentira posto quando eu quiser ainda é um país livre ou o cunha já é presidente? ou deveria dizer trump? to confuso socorro).